Consultoria Financeira

Como posso livrar minha empresa das dívidas?

Artigo de Serasa Experian, 13 de Novembro de 2017

Todo empresário, especialmente os de empresas de pequeno porte, sente diariamente na pele a teoria que diz que empreender significa “assumir e enfrentar riscos”. Estes riscos, em sua maioria, envolvem as finanças empresariais e pessoais.

É importante saber separar a pessoa física da jurídica, entendendo que a empresa não pode ser tratada como uma extensão da vida pessoal. Apesar de o empresário ser o responsável pelo CNPJ que possui, não deve ser o saldo bancário particular o responsável por sanar as contas corporativas. O contrário também se aplica: não se deve usar o caixa da empresa para custos de origem pessoal.

A empresa deve ter equilíbrio financeiro suficiente para se sustentar de forma autônoma, ainda que não dê lucro. Do contrário, o negócio não é rentável e acumulará problemas, que podem ser facilmente transferidos para a vida pessoal do empresário se não houver uma gestão eficiente do negócio. Quando isso acontece, os empréstimos invadem a cena e as dívidas começam a crescer em ambas as contas.

Quando a empresa já se encontra em um cenário de dívidas, para reverter a situação é necessário entender o tamanho do endividamento e a capacidade de recuperação.

Veja abaixo algumas dicas que podem ajudar nesse momento:

1- Prepare-se para gastar menos do que ganha

Seja com o faturamento da empresa ou com o salário pessoal, esse é o passo inicial para que as dívidas parem de crescer. É necessário o corte de gastos supérfluos, mantendo apenas os gastos que são fundamentais para garantir o funcionamento da empresa. Identificar prioridades, entender para onde estão sendo direcionados os recursos e identificar o que pode ser economizado é primordial para o início da recuperação.

2- Tenha controles empresariais e pessoais separados

Mantenha recebimentos, despesas e dívidas empresariais e pessoais em controles separados e analise os orçamentos disponíveis para pagamento das pendências. Lembre-se de que um orçamento mensal de, por exemplo, R$ 5.000 não pode ser usado para pagar R$ 5.000 de dívidas: não se esqueça de outras despesas a vencer.

3- Planejamento para os pagamentos

Tente negociar com os credores um plano para pagamento das dívidas em atraso. Entretanto, contabilize antes suas despesas mensais recorrentes, de modo que você não comprometa seu orçamento a ponto de adquirir novas pendências financeiras. Defina a quantia de que pode dispor para pagamento das dívidas atrasadas e adeque suas despesas recorrentes para que não aumentem e passem a comprometer o pagamento das parcelas.

Um canal que pode ser interessante para ajudar você a recuperar o crédito da sua empresa é o Serasa Recupera PJ. Com ele você terá uma visão clara e organizada das pendências em aberto no CNPJ da sua empresa e também encontrará um meio de renegociar essas dívidas com propostas que cabem no seu bolso. Tenha o contato com os credores de forma simples e clara, sem sair do escritório.

Gostou dessas dicas? A Serasa sempre possuí uma solução sob medida para o problema da sua empresa. Assine a newsletter e receba mais conteúdos como este.

Newsletter Serasa Experian

Serasa Experian
Autor do artigo

Serasa Experian

A maior referência do país no serviço de informações para consumidores e empresas.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Resultado da busca