Enriquecimento e Tratamento de dados

Inovando um negócio com Design Thinking

Artigo de Serasa Experian, 08 de Agosto de 2017
Todo empreendedor, cedo ou tarde, se depara com o fato de que inovação e correr atrás do que realmente faz diferença em sua negócio perante os clientes é essencial para manter sua atividade competitiva.

Isso porque, em plena “Era do Consumidor” — como é chamada a fase pela qual passamos de mudança de comportamento e de forma como produtos, serviços e informação são consumidos — não é mais admissível que as empresas deixem de considerar a experiência deles para decidirem quais soluções colocar no mercado. Nem de que modo investir nelas para aprimorá-las e ampliar ou otimizar essa experimentação e as possibilidades que dela se extraem.

Nesse cenário, há uma expressão que começa a ganhar bastante destaque no cenário das empresas: Design Thinking.

Descubra a seguir o que ela representa e de que forma pode ajudar a inovar na empresa e administrar sua atividade auxiliando o seu negócio a oferecer opções mais ajustadas às necessidades, expectativas e até possíveis carências futuras dos clientes.

As bases do Design Thinking

Design Thinking não tem uma tradução exata, mas consiste basicamente na ideia de aperfeiçoar constantemente uma ideia de negócio.

Ele está baseado em diversos princípios. São eles: otimismo (uma característica naturalmente atrelada ao empreendedorismo), processos colaborativos, integração constante, acompanhamento da experiência do cliente, do produto, vivência, olhar voltado ao mercado, criação formas de coletar, descobrir e interpretar informações para obter insights e aproveitá-los.
Portanto, o Design Thinking foca em usar a criatividade, perspicácia e ferramentas inovadoras para sempre ajudar a empresa crescer de forma amparada.

É importante lembrar que empreendedorismo sem inovação e sem levar em conta esses fatores não tem boas perspectivas de se sustentar ou se diferenciar.
Empreender pode ser sim uma ótima oportunidade, mas há maiores garantias se estiver atrelado ao poder de inovar.

Dados da Serasa Experian indicam que entre os 20 ramos que concentram 80% de novos negócios envolvendo microempreendedorismo, por exemplo, 16 são considerados de baixo valor agregado. Ou seja, contribuem pouco para a inovação e eficiência, não tem foco nesse item tão essencial.

Se os novos negócios, no entanto, levarem em conta a necessidade de inovar, entender o cliente e desenvolver melhores formas relacionamento, baseado em novas ideias e formas mais ajustadas de propor a esse mercado soluções e condições mais ajustadas, isso pode ser uma maneira efetiva de garantir a fidelização.

Como inovar na empresa utilizando um conceito assim?

Existem inúmeras formas de motivar esse conceito no negócio. Métodos, práticas e processos dos mais variados níveis podem ajudar a empresa a estruturar corretamente sua base de clientes e a trabalhar com diferentes estratégias para melhor desenvolver sua atuação.

De modo geral, independente do meio em que ela irá atual, ter uma base de clientes e potenciais clientes atualizada pode ser o passo inicial para pensar as estratégias mais adaptadas que se terá com cada um, de acordo com perfil e informações confiáveis.

InfoBusca Serasa Experian
Em seguida, diversificar a comunicação, atrair novos clientes, integrar os feedbacks desse público, os insights dessa interação aliado ao desenvolvimento contínuo de melhores soluções pode ser o passo ideal para usar Design Thinking e inovar o negócio, experimentando sempre coisas novas e analisando o que traz mais resultado.

Dessa maneira, criar interação com o cliente é essencial para compreender a forma como ele vivencia a experiência com o produto ou serviço e adaptá-la constantemente, surpreendendo e entregando valor contínuo e cada vez maior. Assim, você conseguirá entregar uma melhor experiência, respondendo com soluções e condições de oferta diferenciadas e mais vantajosas.

A tecnologia vem mudando os processos de interação entre a empresa e o cliente e como esse busca serviços (também como as empresas tomam decisões mais seguras). Com base em ferramentas de suporte, consegue-se atender melhor, obtendo e organizando informações mais rapidamente e com facilidade, consequentemente, ofertando melhor.

Seu uso, aliás, tem sido visto como uma das principais tendências para o empreendedorismo. Pode ser que você precise agregar isso à sua empresa (sendo interessante não só do ponto de vista de inovar a gestão empresarial, mas também de compreender o momento e oferecer condições de negociação, o que faz parte da experiência como um todo).

Quem tem essa visão e capacidades no empreendedorismo sai na frente e ajuda seu negócio a manter a saúde e sustentação.

E então, você acredita que já usa Design Thinking em sua atividade? Quer encontrar meios otimizados de apoiar suas decisões, de conhecer seu cliente e inserir inovação em seu negócio, ajudando-o a crescer?
Conte com a Serasa Experian para isso!

Serasa Experian
Autor do artigo

Serasa Experian

A maior referência do país no serviço de informações para consumidores e empresas.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Resultado da busca