Análise de crédito

Locador sem fiador: o dilema das imobiliárias. Quais as opções?

Artigo de Serasa Experian, 08 de Junho de 2017

As empresas que trabalham com locação de imóveis enfrentam um dilema antigo: aceitar ou não um locador sem fiador.

Por um longo tempo, essa tem sido basicamente a exigência de qualquer imobiliária para permitir que a pessoa física ou jurídica feche um contrato de aluguel com garantia de pagamento caso o responsável, por alguma razão, não consiga quitar todas as obrigações.

Para driblar situações em que o preenchimento desse requisito torna-se difícil, tem se buscado alternativas.

Portanto, para que sua empresa possa agir com maior tranquilidade frente a essa situação veja o que é possível fazer para aumentar a confiança da operação e encontrar melhor ajuste ou confiabilidade com os contratos de locação:

1- Considere conversar e negociar com seu locador

Vamos imaginar a seguinte situação: uma pessoa interessada em alugar um apartamento procura sua empresa expondo essa intenção, mas não possui fiador com imóvel na mesma cidade.

A princípio, se sua empresa estiver acostumada a exigir esse tipo de garantia, pode haver negativa e até mesmo forte resistência em continuar a negociação com o potencial cliente, resultando na perda de um contrato potencial.

Por isso, vale ressaltar: embora legalmente a locação com fiador seja prevista, ela não é o único tipo de garantia que pode ser discutido.

De acordo com a Lei nº 8.245/91, que dispõe sobre locações de imóveis urbanos e procedimentos pertinentes a elas, há outras formas de garantia, como o seguro, caução (depósito em dinheiro) e mesmo fundos de investimento — devendo, para todo caso, a empresa escolher apenas uma.

O ideal é chegar a um acordo que fique bom para ambos os lados, mas, claro, sempre bem consciente dos riscos e analisando-os em relação às oportunidades do mercado que se quer aproveitar ou não.

2- Analise e estude o perfil de seu locador

Procure saber a situação fiscal de seu locador com cautela, para ter maior segurança de negociar com um cliente com baixa probabilidade de apresentar problemas por razões pré-existentes ou mesmo por desequilíbrio de sua saúde financeira.

A própria consulta à Receita Federal pode ajudar a levantar alguns dados sobre a situação regular de uma empresa ou pessoa antes da locação, o que já é comum a algumas imobiliárias e pode ou não ser suficiente para sanar totalmente as inseguranças da empresa dependendo de cada caso.

3- Tenha ferramentas aliadas para fazer uma pesquisa mais profunda

Por fim, realizar a Consulta de CPF e CNPJ e atrelar isso a uma solução de monitoramento, principalmente no caso de contratos envolvendo empresas, também são medidas que podem ajudar a tornar todo o processo mais seguro e negociável com benefícios para as duas partes.

E então, sua empresa tem interesse em soluções de consulta de dados mais fácil para apoiar o fechamento de contratos com possíveis locadores? Aproveite para conhecer mais nossas opções!

Consulta CPF e CNPJ Serasa Experian

Serasa Experian
Autor do artigo

Serasa Experian

A maior referência do país no serviço de informações para consumidores e empresas.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Resultado da busca