Monitoramento de CNPJ

Saiba evitar que sua empresa fique inadimplente

Artigo de Serasa Experian, 27 de Julho de 2017

Gerenciar uma empresa sempre exigiu uma série de cuidados e conhecimentos em relação à administração e aplicação de recursos para maiores resultados e para evitar que a atividade se descontinue por falhas na gestão do fluxo de caixa, por exemplo.
Entrar em inadimplência sempre foi um risco a ser evitado e muito temido, principalmente por quem está começando em uma nova atividade, modelo de negócio ou enfrentando dificuldades financeiras.

A situação econômica do país trouxe ainda mais preocupações e desafios aos gestores. O aumento de empresas inadimplentes no Brasil mostra o quão séria é a questão. Segundo um estudo da Serasa Experian o país atingiu recorde de 4,9 milhões de empresas inadimplentes.

"Somente na esfera das empresas paulistanas foi registrado aumento de 48% nos casos."

Porém, como o cenário é de cautela, mais do que nunca, faz-se necessário reforçar ainda mais a necessidade de saber como manter a saúde financeira de um negócio.

Para que você possa usufruir bem de suas oportunidades de negócio e evitar entrar em inadimplência, veja a seguir como manter o controle financeiro de sua empresa:

Tenha clareza sobre a situação da empresa

Poder ter dados claros, informações apuradas, precisas e confiáveis sobre a situação de sua empresa ajuda muito a ter uma noção de sua saúde financeira e a enxergar quais decisões devem ser melhor tomadas nesse sentido para resguardá-la de maiores problemas.

Monitorar a empresa com soluções adequadas, acompanhar a situação de crédito dela e acompanhar as possíveis anotações/movimentações negativas que surjam no estado de regularidade dela também ajudam bastante a prevenir problemas.

Adotar o monitoramento da carteira de clientes também ajuda a entender mais os riscos que você corre ao conceder crédito a eles e a melhorar a qualidade de seu PDD (Provisão para Devedor Duvidoso).
Monitoramento de CPF e CNPJ Serasa Experian

Faça projeção sobre os cenários possíveis

Em seguida, é importante manter um bom fluxo de caixa, analisando entradas e saídas corretamente para conseguir projetar demandas, identificar oportunidades de negócio, prever crescimento e assim conseguir investir sob medida no negócio, já tendo em vista do quanto o mercado está absorvendo de produtos e serviços e calculando passos mais conscientes ao expandir as operações.

Negociar melhores prazos com fornecedores também pode ser uma opção, nesse sentido, para que você consiga tempo para seu caixa se estruturar melhor e permitir que as entradas (no caso de compras de clientes a prazo, por exemplo) ganhem volume suficiente para que você continue comprando sem entrar em maiores dificuldades, com controle sobre este giro.

O equilíbrio entre entradas e saídas é muito importante contra a acumulação de dívidas.

Fuja de empréstimos desnecessários

Às vezes, investir é preciso para crescer e a empresa pode ter de recorrer a soluções de crédito, sendo que, dependendo do caso, pode até existir “o lado bom” de uma dívida se pensarmos nisso. Porém, é preciso identificar se é o momento certo para fazê-la.

Fazer empréstimos não tendo como arcar com os compromissos assumidos ou não tendo faturamento presumido condizente com o passo mais ousado pode ser uma atitude “fatal” para a empresa.

Por isso, deve-se ter cuidado, pois optar por fazer um planejamento adequado antes é a melhor opção. Pense sempre: se o empréstimo for para algum investimento necessário e planejado, cabe analisar as condições. Porém, caso ele seja só para cobrir despesas, isso pode indicar que sua empresa está com uma má gestão financeira e corre sérios riscos de se tornar cada vez mais complicada nesse sentido, podendo entrar em séria situação de inadimplência.

Separe as contas da pessoa física e da jurídica

Essa é uma dica muito útil principalmente para negócios menores que ainda não identificaram as dificuldades de controle e gestão advindas de má definição entre contas da pessoa física e jurídica.
Separar facilita o controle, a previsibilidade de gastos com segurança, a administração e aplicação de recursos e todo o levantamento de informações e identificação de possíveis problemas, facilitando o gerenciamento e diminuindo as chances de endividamento de seus responsáveis e comprometimento do nome da empresa (“sujá-lo”).

Tente se planejar por um ano

Para ter maior segurança, é importante que você procure se preparar para possíveis períodos de escassez.

Cabe lembrar que o retorno sobre o investimento (ROI) em seu negócio pode demorar um tempo para vir, caso esteja começando sua empresa agora. Isso exige que você se planeje e tenha um capital de giro e um caixa emergencial/reserva para aguardar esses resultados e trabalhar por eles enquanto isso sem contrair dívidas.

Mesmo que sua empresa já tenha tempo no mercado, ter uma reserva também é importante para passar por situações de baixas vendas, de crise e gastos extras (possíveis manutenções) sem quebrar.
O ideal é tentar se planejar por ao menos 12 meses praticamente sem faturamento para ter fôlego de sustentar sua atividade mesmo em períodos difíceis que ela eventualmente venha a atravessar, sem recorrer aos empréstimos para pagar contas ou ficar devedor.

E então, você já segue alguns desses passos em sua empresa? Deseja receber mais dicas interessantes sobre o assunto? Continue acompanhando o blog da Serasa Experian e veja mais conteúdos importantes para ajudar a sua empresa a crescer!
Newsle
Serasa Experian
Autor do artigo

Serasa Experian

A maior referência do país no serviço de informações para consumidores e empresas.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Resultado da busca