Consultoria Financeira

Venda de imóveis: diferença entre pessoas físicas e jurídicas

Artigo de Serasa Experian, 15 de Fevereiro de 2017

De acordo com a Associação das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o crédito para aquisição e construção de imóveis caiu quase 40% no ano passado.Embora as previsões mostrem um cenário negativo de retração econômica, é possível que esse ano, a partir dos incentivos criados pelo governo, pessoas e empresas voltem a investir no sonho da casa ou do prédio comercial próprio.

Segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), em agosto de 2015, a taxa para empréstimo pessoal chegou em mais de 60% ao ano em bancos e a 144% em financiadoras.

Entretanto, é preciso entender as principais divergências entre as contratações para PF e PJ, que mudam de uma instituição financeira para a outra.


Para ajudar, criamos uma lista com essas principais diferenças entre o financiamento feito por pessoa jurídica e física, que devem constar no contrato imobiliário, confira:

#1. Quanto ao prazo - O financiamento de imóveis para pessoa jurídica ou física pode variar de acordo com a instituição financeira. O prazo para a jurídica pode variar entre 10 e 20 anos, enquanto para física fica entre 30 e 35 anos.

#2. Quanto às taxas de juros - O mesmo que ocorre com o prazo, também acontece com as taxas de juros, dependendo da instituição financeira e do valor do imóvel. No caso de pessoa jurídica, esses valores podem sair de 1,16% e atingir 1,80% ao mês, já para pessoa física, ele varia de 10 a 14% ao ano mais TR.

#3. Quanto à cota máxima para financiamento - Existe uma cota máxima para financiamento e ela é avaliada de acordo com o valor do imóvel. Para a pessoa jurídica, esse total varia entre 50% e 60% e para a física, pode chegar a até 90%.

#4. Quanto a forma de financiamento: Apesar da maioria das compras de imóvel serem parceladas por bancos e financeiras, existem casos onde

isso ocorre de forma direta. Sendo assim, é fundamental que a imobiliária realize as consultas de CNPJ ou CPF.

Documentação para venda de imóvel para pessoa jurídica e física. Entenda as diferenças:

Além das divergências em termos de contratação do financiamento, as pessoas jurídicas e físicas também se diferenciam na hora da papelada. Veja a relação de documentações que deve ser apresentada por cada categoria na hora da compra de um imóvel:

Pessoa jurídica

 Os documentos abaixo são solicitados para verificar a situação da empresa em relação a registros e dívidas.

  • Consulta ao CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas)
  • Contrato social ou estatuto social na Junta Comercial
  • Documentação registrada na Junta Comercial de quaisquer alterações contratuais ou estatutárias
  • Carta com data da última alteração do contrato ou estatuto
  • Certidão negativa de débito com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS)
  • Certidão negativa de débitos estaduais obtida na Secretaria de Estado da Fazenda
  • Certidão negativa de ações na Justiça do Trabalho
  • Certidão negativa de ações na Justiça Federal

Pessoa física

Os documentos abaixo são solicitados para verificar a situação do indivíduo, avaliando possíveis pendências financeiras.
  • Cópia simples do CPF;
  • Cópia simples do RG;
  • Cópia da Certidão de Nascimento atualizada (deve ser obtida no cartório onde seu registro de nascimento foi feito);
  • Caso seja casado, cópia da Certidão de Casamento ou da Certidão de União Estável (também necessário apresentar RG e CPF do cônjuge);
  • Cópia simples do comprovante de endereço atualizado (contas de água, luz ou telefone);
  • Comprovante de renda (holerites dos últimos meses)
  • Apresentação da Carteira de Trabalho para comprovação de trabalhador assalariado em regime CLT. Para autônomos, é necessária a apresentação do Imposto de Renda mais recente, dos contratos de prestação de serviço e também dos extratos bancários dos últimos meses;
  •  Caso faça o uso do FGTS, deve apresentar os extratos atualizados de cada conta.

Embora tenhamos dados dicas importantes é recomendado que ambos os públicos busquem se informar sobre as melhores condições para simulação real e adequada de seu perfil com uma instituição de sua confiança.

O papel da imobiliária é guiar tanto as pessoas jurídicas quanto as físicas a não se perderem na hora de separar os papéis quanto no momento de verificar as melhores condições dentro de seus orçamentos.

Newsle

Serasa Experian
Autor do artigo

Serasa Experian

A maior referência do país no serviço de informações para consumidores e empresas.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Resultado da busca